Preso liga de celular para ouvidoria e reclama de cadeia

Detento queria denunciar condições precárias da cadeia em Itajubá, no sul de Minas

Nenhum aparelho foi encontrado no presídio de Itajubá depois da denúnciaRecord Minas
A Ouvidoria Geral do Estado recebeu uma ligação inusitada no último mês: um homem que se identificou como detento do presídio de Itajubá, no sul de Minas, queria denunciar as condições precárias da cadeia. O preso afirmou que usava um celular de dentro da cela para reclamar do sistema prisional.   
A ligação foi repassada para a diretoria de atendimento, que informou não poder registrar a denúncia porque o uso de celular dentro das celas se configura como crime. 
O ouvidor do Sistema Penitenciário, Marcelo Costa, explica que não é possível confirmar se a chamada partiu do presídio.   
— Não temos equipamentos para saber se realmente partiu de um preso, pode ter vindo de qualquer lugar. A quebra de sigilo só seria possível se ocorresse antes da ligação. De toda forma, o diretor de atendimento informou que aquilo seria uma prática criminosa, e a Ouvidoria não poderia compactuar com isso. A pessoa não quis se identificar e repassamos o caso para o setor de inteligência da Defesa Social.   
Em nota, a Seds relata que “não há qualquer comprovação que a ligação recebida pela Ouvidoria Geral do Estado tenha sido feita de dentro de unidade prisional” e que a direção do presídio de Itajubá instaurou procedimento interno para apurar o caso. Semanalmente são feitas varreduras nas celas em busca de materiais irregulares. Na semana em que a ouvidoria recebeu a ligação, nenhum aparelho celular foi descoberto na unidade prisional. 
EU conheço os Meus Direitos. E VOCÊ conhece os Seus?

This article was written by Prof. Tomé Mota

Paulistano. Técnico em Eletrônica Rádio e TV pelo Instituto Universal Brasileiro, Blogueiro. Bacharel em Direito pela Universidade Cruzeiro do Sul - SP. Pós-Graduando em Direito do Consumidor e Docência do Nível Superior. Professor de Direito. Advogado inscrito na OAB/SP e OAB/MA. Foi Vice-Presidente da Comissão de Prerrogativas OAB Subseção Codó/MA pelo triênio 2010/2012. Foi Presidente das Comissões de Assessoria de Comunicação e Defesa do Consumidor, Foi Membro da Comissão de Direitos Humanos, Foi Vice-Presidente da Comissão de Combate a Corrupção Eleitoral e Foi Procurador da OAB Subseção de Codó/MA Triênio 2013/2015. - Foi Membro da Comissão Estadual da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB SECCIONAL DO MARANHÃO triênio 2013/2015. - Vice-presidente da Comissão de PJE(Processo Judicial Eletrônico) do Conselho Subseccional da OAB/MA - Codó (Triênio 2016/2018). - Presidente da Comissão de Assessoria de Comunicação do Conselho Subseccional da OAB/MA - Codó (Triênio 2016/2018). - Exerceu a Presidência da Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Conselho Subseccional da OAB/MA - Codó (2016). - Exerceu o cargo de Coordenador do Posto Avançado do PROCON/MA em Codó (Coordenação de Fiscalização). - Reconduzido a Presidência da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB Subseção Codó/MA (Triênio 2016/2018). - Eleito Conselheiro Titular de Política sobre Drogas pela OAB do Município de Codó/MA (Sociedade civil organizada). - Sócio Efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Codó/MA - IHGCodó - Associado Brasilcon. - Membro da Comissão Nacional de Professores de Direito do Consumidor do Instituto BRASILCON - Reconduzido e atual Coordenador do PROCON MA em Codó.